[ editar artigo]

Visão, sonhos e planos bem sucedidos: como elaborar.

Visão, sonhos e planos bem sucedidos: como elaborar.

"Concede-te o desejo do teu coração e leve a efeito os teus planos" Salmos 20.4

O Salmo 20 parece ter sido escrito para os dias atuais.  Inicia invocando para que Deus atenda no tempo de angústia.  Não sei o quanto a pandemia te afetou nos aspectos físicos, mental, saúde, relacional, emocional, econômico e espiritual.   Mas tenho a convicção de que afetou. Talvez em alguns dos aspectos até para melhor. Se analisarmos os balanços publicados, observamos que para muitas empresas o ano de 2020 foi um dos mais rentáveis da história destas empresas.  Para outros, foi o ano da insolvência.  Muitos se identificaram com os aspectos de trabalho em home office; outros detestaram o modelo.  

Alguns tiveram sua família preservada integralmente; outros perderam vários familiares.  A mesma pandemia, impactos diferentes. Como ponto central, despertar de ansiedade e angústias em todos.  No mínimo por empatia e amor cristão para com os que sofrem. A partir do segundo versículo temos uma diferenciação de comportamento: de onde vem o auxílio que esperamos para a nossa vida, para os nossos negócios? Confiamos na vacina? Confiamos em políticos? Confiamos em nós mesmos?  O salmista nos admoesta em esperar e saber que o auxílio vem do santuário de Deus, diretamente do trono do Rei dos Reis.  Mas também chama para a reflexão de como tem sido a nossa vida na presença deste Deus. Como foram as "ofertas e holocaustos"?   Não me refiro à quantidade, mas sim à forma com que estes são oferecidos a Deus.   O próprio salmista afirma:

“Não te deleitas em sacrifícios nem te agradas em holocaustos, senão eu os traria. Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás. Por tua boa vontade faze Sião prosperar; ergue os muros de Jerusalém. Então te agradarás dos sacrifícios sinceros, das ofertas queimadas e dos holocaustos; e novilhos serão oferecidos sobre o teu altar." Salmos 51.16-19


Como principal oferta devemos dar integralmente a nossa vida. Incluindo aqui os negócios e carreira.  Como alguém que teve oportunidades profissionais e acadêmicas ímpares, muitas vezes afirmei que a única coisa que ninguém pode tirar de nós é nossos conhecimentos e carreira profissional.  Até que um dia Deus me deu uma lição dura: um colapso que provocou uma amnésia em que esqueci quase um ano de minha vida. Neste tempo, aprendi que a única coisa que ninguém pode tirar é a nossa fé em Deus. A partir deste fato, aprendi que também a minha carreira precisa ser integralmente consagrada a Deus. Com coração contrito e dependente da vontade dEle.
O ponto central para nossos negócios é vivermos de forma tão intima com Deus, que nossos sonhos, projetos e planos sejam concedidos por Deus.  

“Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar esperança e um futuro”. (Jeremias 29:11).

Novamente no Salmo 20:4, a oração é que Deus conceda o desejo do coração e leve a efeito os teus planos.   Qual a origem dos teus objetivos empresariais? Qual a motivação de teus negócios? Que riqueza pretendes gerar: a deste mundo ou riquezas eternas?  E o teu planejamento estratégico ou tático?  Estão embasados em que princípios?  
A forma de planejar e gerir o negócio está simplesmente para o teu conforto e segurança?  Se for, isso é perigoso pois é eminente o risco da arrogância, onde pensamos que podemos qualquer coisa e não precisamos de Deus.  Assim como eu era e pensava por ter uma carreira e conhecimentos muito bons e diversificados.  

Deus quer que sejamos ousados. E se vivermos no centro da vontade dEle, teremos experiências grandiosas. Tenho visto isso em várias empresas que assessoro.  E tudo isso para que seja público que é Deus quem fez a obra e não nós. Cito dois exemplos:  a) uma das empresas que acompanho estava em grandes dificuldades financeiras em decorrência da pandemia.  Com muito jejum e oração consagramos os negócios. Um prospect que havia 13 anos não aceitava nenhum contato com esta empresa, passou a comprar volumes expressivos que garantiram mais que o dobro do custo fixo. E o milagre é que neste período não foi feito nenhum contato com o prospect. Ele mesmo procurou o fornecedor. Quem pode dizer que isso não é intervenção divina? Até podemos racionalizar que foi a falta de matéria-prima do mercado, etc.  Mas quem explica que depois de 13 anos ele começou a comprar grandes volumes justamente de um fornecedor que ele não queria nem atender? Eu não tenho como não ver a mão de Deus neste episódio.  

b) outro cliente, um restaurante, vinha de uma crise de gestão muito grande.  Com a pandemia e lockdown as coisas... não se complicaram, muito pelo contrário, melhoraram.  O volume de vendas mais que dobrou. Em um segmento em que quase 1/3 dos estabelecimentos brasileiros já fecharam em decorrência da crise, por isso, não ouso a não dar Glórias e Honras a Deus.  Melhorias de processos foram implantadas. Melhoria no marketing foi feito.  Mas nada justifica este crescimento. Não há racionalidade para isso.   

Por isso tudo, retorno a este ponto como central: consagre o negócio e a carreira para Deus. Ele irá conceder projetos e desejos ao teu coração.  E aí vem uma nova diretriz: faça planos e submeta os mesmos a Deus.  Peça orientação, sabedoria, visão do que Ele quer de teu negócio. Ao teres a certeza e paz de que isso está no centro da vontade de Deus, Ele levará a efeito os teus planos. 

Mas após esta situação surge uma nova responsabilidade: dar a glória e honra a Deus. No versículo 5, o salmista afirma que saudaremos a tua vitória com gritos de alegria e ergueremos  as nossas bandeiras em nome do nosso Deus. A arrogância humana levará a racionalizar e a querer os méritos e benefícios dos resultados.  A vida de fé levará a dar as devidas honras a Deus, sem vergonha de assim afirmar. Além de justo, isso fará com que os que estão ao nosso redor conheçam de fato quem é Deus e que Ele é vivo e presente aqui e agora. Agir desta forma é ser um testemunho e colaborar na expansão do Reino de Deus.  Agir desta forma é reiterar a profissão de nossa fé, que confiamos em Deus e não em "carros e cavalos" ou atualizando, em tecnologias, métodos, processos, modismos,  etc. que geram resultados. Óbvio que temos que utilizar todos os recursos que estão disponíveis e alinhados com os propósitos e valores do negócio. Mas não confiar nisso e sim no Criador de tudo e fonte de toda a Sabedoria e Conhecimento.  
O salmo 20 continua a motivar ao afirmar que "Eles vacilam e caem, mas nós nos erguemos e estamos firmes".  Quedas fazem parte da vida. Altos e baixos fazem parte da vida. Sermos impactados pela pandemia fez e faz parte da vida. Ainda sem sabermos a razão, podemos afirmar que a pandemia teve a permissão de Deus. Caso contrário não teria ocorrido. A diferença é que ao confiar nEle, nos ergueremos e estamos firmes. Isso é promessa e verdade. Ele é rocha sobre a qual nossas vidas e empreendimentos devem estar fundamentados. Vamos cair? Provavelmente sim. Vamos vacilar? Provavelmente sim.  Vamos nos cansar? Certamente sim. Vamos desanimar? Com certeza.  Mas:  

"Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças. Até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no SENHOR renovam as suas forças. Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam." Isaias 40.29-31.

O salmo termina com a afirmação de que Deus dá a vitória ao rei e que responde quando o clamamos.  Em Cristo, somos feitos filhos do Rei.  Em Cristo somos herdeiros e com isso podemos viver a vitória. Em Cristo o conceito de vitória é outro. Não com padrões de sucesso humanos, onde a riqueza monetária é prioritária e medida de sucesso. Mas com padrões de Deus, onde o amor ao Pai e ao próximo são as verdadeiras medidas de sucesso. Passando sim pela prosperidade e benção materiais, mas não sendo preponderantes  e prioritárias. 
E como obter isso?  Com uma vida consagrada e de intimidade com Deus. Na busca intermitente de relação com Deus pelo estudo da palavra, oração, meditação, comunhão com irmãos e sobretudo permitindo que o Espírito Santo se manifeste em nossas vidas. 
Loucura?  Sim.  

"Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão sendo destruídos, porém para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. Porquanto está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos homens cultos”. …" 1 Coríntios 1.18-19

Que Deus te dê visão, sabedoria, experiências, conceda desejos ao teu coração e leve a efeito os teus planos.

ELO!
Renato Osvaldo Bretzke
Renato Osvaldo Bretzke Seguir

Ajudo a Vencer desafios nos negócios com ética, controle adequado e inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você