[ editar artigo]

Cultura Organizacional, atenção! Ela devora a estratégia como café da manhã.

Cultura Organizacional, atenção! Ela devora a estratégia como café da manhã.

Se a cultura come a estratégia no café da manhã, como foi dito por Peter Drucker, precisamos entender o que faz da cultura algo tão importante para as organizações, ao ponto de as empresas dedicarem milhares de reais para desenvolvê-la. Neste post, quero apontar apenas um dos pilares, mas lembro que existem muitos outros que colaboram para construção de uma cultura forte e saudável, então, fique atento para a formação e transmissão da Cultura que você quer para o seu empreendimento, pois se você não fizer isso, seu time vai fazer, e ali na frente, você pode descobrir que não era bem nesta direção que você gostaria de dar para sua empresa.

Precisamos dialogar de forma consistente com nossos times, especialmente as lideranças, sobre os preceitos e percepções que cada um têm, mas principalmente deixar claro para eles quais são os valores dos fundadores da organização, já que as regras, normas, valores e procedimentos trazidos por cada um e praticados na organização, podem ser expressados de forma explícita e/ou implícita.

Tão importante quanto qualquer tema na organização, convivemos com as histórias das nossas equipes, pois eles vem de famílias diferentes, com crenças distintas e histórias profissionais com culturas heterogêneas, logo, ao reunirmos duas ou mais pessoas para construir um negócio, cada uma destas pessoas trará sua bagagem para somar e contribuir com os sonhos que iremos alcançar, e isso é muito bom, mas demanda alguma atenção.

Deixe claro para todos, que os riscos comuns de trazerem a prática da cultura implícita, ou seja, aquelas que não declaramos, que não escrevemos ou que não confessamos publicamente, trazem duras consequências para as organizações, porque no mundo empresarial, não podemos brincar de descobrir para onde vamos, precisamos de orientações claras, regras visíveis e diretrizes tangíveis e explícitas, ou seja, precisamos da transparência de todos.

De alguns anos para cá, a tecnologia passou a ser um dos fatores que podem afetar a cultura positiva ou negativamente. Cultura se desenvolve com pessoas e repetição de hábitos, mas neste caso, as tecnologias podem acelerar os processos, e colocar boas ou más práticas culturais em evidência. Não despreze isso, antes de acelerar qualquer processo na organização, verifique se ele possui a cultura desejada, e aqui estou falando da cultura do Reino de Deus, que certamente é o que você deseja para sua empresa.

Empresas que se valem, ou permitem que seus times se valham, da cultura implícita, que em geral, é caracterizado por mentiras, ocultação da informação e disputa por espaços e poder, temas que a palavra de Deus considera como pecado, e nos orienta a tratar com amor, exortando para mudança de vida, dando clareza aos fatos e corrigindo os comportamentos que geram hábitos e depois cultura .

Empresas que assumem o risco gigante de desenvolver uma cultura completamente diferente da palavra de Deus, sem a cultura do Reino, assumem o risco de promover em suas organizações uma cultura que afasta as pessoas da verdade e das práticas que você valoriza e gostaria de implantar na sua organização.

Fique atento, pois suas estratégias podem estar sendo destruídas no café da manhã, pela falta da cultura do Reino e da base da palavra de Deus nos seus negócios.

ELO!
Dongley Martins
Dongley Martins Seguir

Conselheiro de empresas, Investidor em startups na fase pré-seed e seed, Empreendedor por 10 anos no setor de logística, 15 anos atuando com recuperação de empresas e 5 anos no mercado financeiro de investimentos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você