[ editar artigo]

Cristãos, a Pobreza e a Riqueza do mundo

Cristãos, a Pobreza e a Riqueza do mundo

Descanso é um tremendo mecanismo de aprendizado e desenvolvimento. Pensando nisso, aproveitei estas últimas 3 semanas para ler e refletir neste tema tão complexo e ao mesmo tempo tão polêmico, mas tão intimo dos empreendedores, empresários e profissionais liberais.

A coisa mais incrível de saber é que apesar de termos mais de 800 mil pessoas na faixa da pobreza espalhadas pelo mundo, este assunto não é uma prioridade na maioria das mesas de lideres mundiais.

Temos cerca de 90% da riqueza do mundo nas mãos de cerca de 1% das pessoas do mundo, sendo assim, seria lógico que as decisões fossem mais simples, pois quanto menos pessoas envolvidas nas decisões, supostamente mais simples de fazer as mudanças, só que não...

Falando para empreendedores, que são os nossos alvos como movimento, durante a leitura destes dois livros incríveis, Deus e o dinheiro e Economia do Reino, fiquei impelido a compartilhar um pouco do aprendizado. Desta vez, focado no livro Economia do Reino.

O Autor, Matheus Ortega, nos traz uma visão muito singular no seu livro Economia do Reino, que revela quatro perfis de pessoas que, complementarmente, são poderosas se operam juntas, mas que, individualmente, não são suficientes para sustentar uma ideia genuína de economia do Reino.

Os perfis são estes:

Os Doadores - o caminho que escolhem é o da Generosidade. Aplicam ao seu dia a dia o dom da contribuição e praticam sua economia do Reino, doando com o coração. As recomendações para este perfil são: Desfrutar com gratidão o processo da doação, Dar com espontaneidade e não por meta ou pressão, Alegrar-se na invisibilidade e não na popularidade.

Os Moderados - O caminho que escolhem é o da Mordomia. Aplicam ao seu dia a dia o dom da administração e praticam sua economia do Reino, dando com a razão. As recomendações para este perfil são: Cuidar com a forma da mordomia, Viver de modo simples que o permita participar com alegria do dar e Contentar-se sempre com o processo de dar.

Os Transformadores - O caminho que escolhem é o da justiça como mudança. Aplicam ao seu dia a dia o dom da misericórdia e praticam sua economia do Reino, dando para mudar o sistema. As recomendações para este perfil são: Satisfazer-se na prestação da assistência, Buscar o desenvolvimento por inteiro com vistas às mudanças reais e trabalhar para reformar a sociedade.

Os Abnegados - O caminho que escolhem é sempre o da compaixão. Aplicam ao seu dia a dia o dom do serviço e praticam sua economia do Reino, dando com total renúncia. As recomendações para este perfil são: Não se importe por perder, pois perder é ganhar, A renuncia será sempre a melhor expressão do serviço e Viver pela fé.

Concluo estimulando que você tenha na sua biblioteca os dois livros e os leia. O livro Economia do Reino é uma espécie de romance que relata, com profundidade e sem ser enfadonho (o autor elencou centenas de referencias de suas pesquisas), as perspectivas bíblicas de comportamentos esperados dos cristãos como doadores, tema que eu incluiria na sua lista de prioridades, já que, finanças é um dos assuntos mais tratados na bíblia.

Falar de pobreza e riqueza não é uma tarefa simples, mas, se cada cristão se identificar, se posicionar e assumir um dos perfis já será uma grande revolução no mundo, mas o autor sugere que ao trabalhar em conjunto com os demais perfis, veremos o poder do cristianismo transformando as nações e os rumos dela por toda eternidade.

Aquele que tem a certeza de que nada faltará jamais, não procurará possuir mais do que é preciso.

Thomas Morus  (1478 - 1535)

ELO!
Dongley Martins
Dongley Martins Seguir

Conselheiro de empresas, Investidor em startups na fase pré-seed e seed, Empreendedor por 10 anos no setor de logística, 15 anos atuando com recuperação de empresas e 5 anos no mercado financeiro de investimentos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você